Ano Novo em Julho

julho 21, 2011 at 20:45 (Uncategorized)

“As promessas, como as pessoas, perdem a força quando envelhecem”, nos disse Marcel Pagnol, por isso, nada melhor que aproveitar esse mês de julho em que estamos voltando das férias com as energias corporais e metais recuperadas, para repensar o que prometemos no ano novo e procurar renovar o que não cumprimos.

O primeiro passo a ser seguido – para que nada passe despercedido –  é fazer uma lista com o que foi prometido, e assim, análisar o que foi feito, o que está em andamento e o que não teve o mínimo de esforço para ser realizado. Quando paramos por um momento para fazer este tipo de reflexão, percebemos quais atitudes estamos tomando em nossa vida, e refletindo em que podemos melhorar. Depois de ter revisado tudo, é hora de ver o que não foi feito e que ainda é prioridade, e depois colocar no papel quais as novas atitudes a serem tomadas, para assim,  fazer uma listinha com novos tópicos, com o desejo de que no fim do ano, vão está marcadas de marca texto verde.

Não podemos perder as esperanças em nenhum momento de nossa vida, pois, a todo instante devemos reafirmar a nossa vontade de vencer, seja no vestibular, em  um concurso, emagrecer, bem, são vários os desejos,mas, que com um pouco de esforço podemos conseguir superar qualquer obstáculo e ser um vencedor.

Link permanente Deixe um comentário

Alistamento Obrigatorio

março 1, 2011 at 23:45 (Uncategorized)

É muito ruim quando algo é obrigatório.

Alistar-se.

Hoje tive que acordar um pouco mais cedo, mas não madruguei é claro, até porque não vejo necessidade de chegar à junta militar ao gargarejar do galo,  odeia filas prefiro sair mais tarde, do que enfrentar fila, então prefiro deixar o “povinho” madrugar e gozar daquela maravilhosa fila.

Brasileiro ama fila. Não que eu seja estrangeiro.

– Guichê 6 para pegar ficha; me informa um rapaz que se encontra na porta, pois o recinto se encontra bastante cheio, e um calor insuportável. Pego minha senha de número 27, e espero um pouco impaciente.

Depois de muita espera. Mas nem reclamei de ter demorado muito, pois pude observar muitas cenas hilárias. Primeiro uma avô, fala em alto e bom som que seu neto não pode esperar porque tinha tido uma dor de barriga de tão nervoso que estava, logo, toda que estavam no recinto caíram na gargalhada. Outra coisa são os garotos que tem que ir acompanhados pelos pais, pois não sabem pedir uma informação no guichê. Como eles vão sobreviver?

Bem, fui ao guichê 2, em que um atendente bastante simpático me tratou muito educadamente – mentira e mentira – me perguntou algumas informações e disse para eu esperar uns 10 minutos que durou cerca de 30 – tenho muita raiva disso, se não sabe quanto vai demorar não faz deduções caramba. Depois desse tempo todo, pego um papel com uma data para uns 5 meses depois retornar à aquele local para fazer não me pergunte o que, pois vou dar sorte se eu me lembrar de ir.

Alistar-se, algo que não devia ser obrigatório, assim quem sabe faríamos com uma vontade melhor de servir ao nosso país.

Link permanente Deixe um comentário

Protesto à Vista

março 1, 2011 at 23:25 (Uncategorized)

Ônibus circulando lentamente, passando um bom tempo parado ao redor da lagoa. É fim de tarde. O caos se aproxima.

Protesto.

Os policiais enganados com aumento de salário por questões de época eleitoreira cobram do novo governo algo que o estado não tem condições de arcar, como bem deixou claro durante as eleições.

A população cansada de um dia extenso de trabalho, estudos, entre outros serviços do dia a dia, tendo que aguentar o acréscimo do tempo para chegar em casa, por conta de protestos de pessoas que só querem ver o seu bem comum, em que não procuram olhar por todos os ângulos da história.

Link permanente Deixe um comentário

Pierrô e Colombina

março 1, 2011 at 23:25 (Uncategorized)

Pierrô está triste.

Colombina está triste.

As mulheres pegam um, pegam geral.

Os homens de mulher se travestem.

É o domingo das virgens. Difícil encontrar uma, e se você encontrar saiba que vai deixar de ser neste domingo.

As bebidas e trios animam o que não tem lá nada de muito alegre – não confunda alegria com falsa alegria. Não sou atrasado. Ou sou? Bem, na primeira e última vez – assim espero – que fui nesse bloco “irreverente”, estive sujeito a levar um tiro e a olhar cenas eróticas e de baixíssima categoria, por que cá entre nós, até para baixaria tem que se ter uma classe – sigam o exemplo de nossa professora Luciana Gimenez.

Colombinas travestem seus namorados, maridos, irmãos, primos, etc. de roupas do gênero feminino, como uma forma de eles soltarem a “franga” neste único dia e não ter que soltarem-se outros dias do ano, e manter a pose de machão, ah, até porque é muita masculinidade se travestir de mulher.

Colombina chora.

É uma micareta em formo de bloco de carnaval, só tem graça se a moça pegar de 10 “virgens” pra cima. Tirar o batom das virgens é algo que elas adoram. E uma doença sexualmente transmissível? Quem liga? Beijo não é sexo, certo? Errado.

Pierrô chora.

Link permanente Deixe um comentário

O Brasil é o melhor?

julho 31, 2010 at 19:01 (Uncategorized)

Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida.
Nossa vida mais amores.
Gonçalves Dias,Canção do exílio.

A cerca de dois meses atrás, comecei a ler um livro de leitura e redação (Platão et Fiorin, para enteder o texto: leitura e redação), muito bom por sinal, e um dos capitulos começa com esse texto o qual citei no começo deste post, mesmo eu tendo lido o mesmo por incasáveis milhares de vezes na escola quando os professores pediam, desta vez foi diferente, ao terminar de ler me fiz o seguinte questionamento: O Brasil é o melhor?

Deparado com essa grande questão, me vejo a fazer uma análise de tudo que vivi e vivo em meu país, para se saber se é o melhor, mas para fazer essa análise tenho que ter uma referência, no caso aqui seria todos os países do mundo, mas é claro que não podemos fazer isso, pois cada país têm suas características que interfere em distinguir se uma coisa de certo país é melhor que outro. Com essa rápida análise que fiz,  vamos perceber que cada país é o melhor, cada qual em sua referência sociocultural, e logo podemos definir o Brasil o melhor, o melhor de nós, pois quem faz um país é a sua população.

O Brasil é o meu, o seu, o nosso melhor país, com falhas, mas é nosso.

Esse post comecei faz muitas semanas, e só hoje consegui terminar de
forma rápida. Muitas vezes procuramos fazer o melhor, e achamos que o
maior e mais grandioso é o mais bonito, e percebi que na verdade mui-
tas vezes no simples se faz o mais belo.
Edward Maya Feat. Vika Jigulina – Stereo Love .mp3
Found at: – FilesTube

Link permanente Deixe um comentário

Não sei se quero rotina

junho 18, 2010 at 00:41 (Uncategorized)

…A rotina do caminho é a direção
A rotina do destino é a certeza
Toda rotina tem a sua beleza.” Autor desconhecido.

Minha cidade é considerada a cidade onde o Sol nasce primeiro, calor aqui é quase o ano todo, e não é a toa que nossas praias combinadas com todos esses dias de sol, são consideradas as melhores para se curtir e pegar um bronzeado.

Bem,  mas se engana quem pensa que a minha cidade, João Pessoa/PB, só tem sol e calor, aqui quando a chuva resolve aparecer – estamos vivendo um desses dias- pode preparar os guarda-chuvas que lá vem chuva para o dia todo, ah , mas o frio é dificil de aparecer, o máximo que acontece é um “clima agradável”.

Hoje quando pegava meu ônibus não muito cheio – esse é o lado bom da chuva, poucas pessoas resolvem sair de casa – sentindo o cheiro de abafado, por conta das janelas todas trancadas, algo que me dá nauseas, e pode estar caindo um “toró” d’água, que eu tenho que abrir a janela, nem que seja um poquinho, as vezes acredito que eu tenho claustrofóbia*, e com todos os sentidos aflora, me vejo a pensar no que um simples ato muda a nossa querida e amada rotina, o ato da vez  é a  chuva, pessoas mudam seu meio de locomoção, horários mudam, aquele chefe aceita você chegar um pouco atrasado, é nessas horas que nós nordestinos tiramos nossos blusões e casacos do fundo dos armários, e logo percebo o quanto é bom sair dessa rotina ao qual estamos tão acostumados, que nem percebemos o quanto é tedioso.

Sempre é bom mudar a nossa rotina, melhora nossa saúde, o cerebro trabalha mais e assim criamos força e vontade para viver cada dia de forma diferente, por isso, viva cada dia de forma diferente, esperimente coisas novas.

*Claustrofobia: é a fobia que se caracteriza pela aversão ao confinamento ou a lugares fechados. Pessoas com claustrofobia costumam evitar elevadores, trens ou comboios e aviões. A claustrofobia também pode se manifestar no meio de multidões.

Link permanente 2 Comentários

Nos bastidores

maio 29, 2010 at 18:54 (Uncategorized)

Eu sou Ocultista, gosto de saber o que rola nos bastidores…
John Constantine

Neste dois ultimos dias e segunda-feira estou participando da gravação de um quadro de um programa da Tv Escola. O quadro consiste em dez alunos e dois professores se dividirem em dois grupos, no caso o JAGUART – o qual faço parte – e o 003,  recebemos o desafio proposto por um cliente, que foi visitar o bairro de Jaguaribe – bairro onde se localiza minha escola- e procurar revitalizar uma área desse lugar, mostrando um projeto acompanhado de uma maquete,  em resumo, as gravações consistem nisto, algo que está sendo muito legal de se fazer.

Ao começar as gravações, comecei a perceber o quanto é gostoso e cansativo de se fazer um programa, tem que se repetir as cenas – a parte mais chata -, tem os lugares certos para olhar, entre outras coisas, mas o que mais me impressiona é ter que gravar o dia inteiro para no final se aproveitar de cerca de 20 minutos, isso me deixa até um pouco irritado, mas sei que esse é um dos truques da televisão.

Viver a correria de um bastidor é algo que vivenciado por alguns dias é algo muito bom, apesar de cansativo, mas viver disso para o “resto da vida”, seria algo interessante? Bem, espero encontrar resposta para essa pergunta até o final das gravações, ou até a minha inscrição na faculdade, pois é a área que pretendo seguir,  se é jornalismo, publicidade, radio e tv  ou outro curso da parte de comunicação ainda não sei, mas estou descobrindo que essa é minha área, e o cansaço?! Ah, não existe trabalho sem trabalho.

Link permanente Deixe um comentário

O interesse maior de cada dia

maio 25, 2010 at 22:18 (Uncategorized)

Os políticos não conhecem nem o ódio, nem o amor. São conduzidos pelo interesse e não pelo sentimento.
Philip Chesterfield.

Minha escola há cerca de dois anos passou de Centro Federal – CEFET/PB – para Instituto – IFPB – algo que aparentemente  até agora não mudou muita coisa em nosso dia-a-dia, os hábitos  e pessoas continuaram as mesmas, apesar de pessoas de cargo maior vim com o discurso de que  a verba será melhor e que cada campi terá seus próprios recursos – como sempre o dinheiro é a importância maior – e que as vantagens serão as melhores, nos restou esperar até ver e utilizar-se dessas melhorias, que até hoje não estão muito claras.

Amanhã – 25 de maio de 2010 –  no instituto ao qual faço parte, se realizará a votação para o cargo de reitor – de novo o dinheiro – onde dois candidatos colocam suas propostas para que a comunidade decida quem vai usufruir de comodidades e dá a sua assinatura para decidir as questões referentes ao IFPB. Nós eleitores temos a difícil tarefa de tomar a decisão de quem vai ser o vencedor – apesar de se cogitar que esse dito cujo já existe, mas que para mim eleição é como copa do mundo, só se sabe o ganhador no apito final – infelizmente não consigo pensar em outra coisa, a não ser o branco em minha mente, pois é o interesse que envolve a todos, e não é o interesse como comunidade escolar, é o interesse pessoal, aquele que mais me favorecer este é o que tem meu voto, isso é o que se traduz da mente das pessoas em relação a eleições.

O interesse é tão envolvente, que pessoas fazem o possível e o impossível por “tal candidato” , quando o que envolve não sãos corações nem abelhinhas unidas por um só pensamento, mas, é o que vão tirar de vantagem de toda essa festa.

O que nos resta agora é cair na festa e dançar conforme a música, e que vença o melhor ou o que tiver o maior número de pessoas interessadas nos beneficios de tal candidato. Esse é nosso Brasil.

Link permanente 1 Comentário

O meu Vaso Chinês

maio 24, 2010 at 01:15 (Uncategorized)

…Fino artista chinês, enamorado,
Nele pusera o coração doentio…

Não é por acaso que começo este blog com um trecho do poema “Vaso Chinês-Alberto de Oliveira”, poema esse que dar nome para este espaço de escritos, trazendo a tona a questão abordada na escola literaria parnasiana, a arte pela arte .

Aqui vou procurar relatar a arte da vida, do cotidiano, bem, das coisas bobas e simples da vida, mas que é a pura arte, trasmitida através da  pintura maior, chamada de “escrita”, que tanto fascina o homem desde os seus primórdios e continua extasiando até os dias atuais.

Espero que você se faça acontecer meu leitor fiel, e venha embarcar no mundo das letras comigo. Por início de conversa está bom por aqui, então agora é esperar pelas proximas conversas. E para que esse blog se torne um espaço legal – coOl – nos deixe seus comentários.


Link permanente 1 Comentário